Buscar
  • Associação Pernambucana de Nutrição APN

Dia mundial da alimentação em tempos de pandemia

O dia mundial da alimentação é uma data para se refletir sobre como está a alimentação da população mundial. Em tempos de pandemia esta reflexão se torna mais relevante. Neste momento é necessário um esforço coletivo das instituições governamentais, da sociedade civil e do setor privado a fim de se planejar para os pós pandemia. Onde acredita-se que a fome e insegurança alimentar deve aumentar em nível mundial.

O dia 16 de outubro é dedicado para a celebração do dia mundial da alimentação e tem como finalidade debater a segurança alimentar, buscar soluções para o problema da fome no mundo e garantir alimentos de qualidade e em quantidade suficiente para todos os cidadãos. Desde 1981, esta data foi escolhida pela OMS por coincidir com a data de fundação da FAO, em 1945, em Quebec, Canadá desde então a cada ano é escolhido um tema para ser trabalhado, tendo iniciado com “A alimentação em primeiro Lugar “ (Coelho et al 2005).


Em 2020 a pandemia inesperada imposta pelo COVID-19 impôs à sociedade mundial uma necessidade de reorganização rápida de serviços de saúde, comércio, escolas, trabalho e tarefas em casa. Para alguns foi necessário interromper o trabalho. Para outros o trabalho foi reorganizado para ser realizado em casa. Associado a estes, as tarefas domésticas foram intensificadas com as famílias permanecendo mais em suas casas. Assim o consumo de alimentos em casa também necessitou de mudanças. São crianças adultos, idosos, que precisam se alimentar nas suas casas de forma segura e saudável. (Silva 2020).

Além disso, a população mais vulnerável e trabalhadores informais de um momento para outro se viram sem renda e sem acesso ao alimento, o que pode potencializar a fome e insegurança alimentar, um dos grandes desafios para o período pós pandemia. Sabe-se que a renda familiar está associada à segurança alimentar e nutricional sendo sólida a evidência de que políticas sociais e econômicas voltadas ao aumento da renda das famílias brasileiras resultam em redução da fome e da desnutrição infantil (FAO 2015; Monteiro et al 2009). Por este motivo, medidas voltadas à garantia de renda emergencial estão entre as primeiras defendidas para a proteção social e a promoção da segurança alimentar e nutricional (Jaime 2020).


Neste ano especial de 2020 às vésperas da comemoração de 30 anos do dia mundial da alimentação e nutrição é necessário mobilizar todos para uma reflexão coletiva sobre a contribuição de cada um na melhoria da alimentação, e sobre como prover o acesso à alimentação de qualidade. Adotar culturas mais sustentáveis que preservem o meio ambiente, com redução da utilização de agrotóxicos, sem perder de vista a proteção da renda dos mais vulneráveis, já que alimentação saudável é um “ATO POLITICO “ e merece a atenção de toda a comunidade.

Créditos









Msc Jaide Almeida

Nutricionista de Saúde da Mulher e Fertilidade do Casal

Especializada em Saúde da família pelo programa de Residência Multiprofissional da UFPE


Fontes:

Jaime Patrícia Constante. Pandemia de COVID19: implicações para (in)segurança alimentar e nutricional. Ciênc. saúde coletiva vol.25 no.7 Rio de Janeiro July 2020 Epub July 08, 2020


Monteiro CA, Benicio MHD, Konno SC, Silva ACF, Lima ALL, Conde WL. Causas do declínio da desnutrição infantil no Brasil, 1996-2007. Rev Saude Publica 2009; 43(1): 35-43.


Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). SOFI: o estado da segurança alimentar e nutricional no Brasil 2015. FAO Brasil, out 2015.


Silva Elaine Gomes. SEGURANÇA ALIMENTAR EM TEMPOS DE COVID. Manual de segurança alimentar. UFSCAR 2020

22 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo